Centro de Produções Técnicas
Voltar

Vai comprar um computador? Escolha bem o gabinete!

 

Vai comprar um computador? Escolha bem o gabinete!     Artigos Cursos CPT


caixa, normalmente metálica, onde são montados todos os dispositivos internos, como fonte, placa-mãe, placa de vídeo, placa de som, disco rígido, portas USB, entre outros


O gabinete é uma caixa, normalmente metálica, onde são montados todos os dispositivos internos, como fonte, placa-mãe, placa de vídeo, placa de som, drive de disquetes, drive de CD-ROM ou DVD, disco rígido, portas USB, entre outros. Normalmente, os componentes do computador que não são fixados no gabinete são o monitor, o teclado e o mouse.

Segundo Eder Moreira Lelis, professor do Curso a Distância CPT Montagem de Computadores, em Livro+DVD e Curso Online, “Ao adquirir um gabinete, uma característica importante a ser observada é o design, pois ele, junto ao monitor, teclado e mouse, é um tipo de peça que os usuários veem e, muitos deles, no ato da compra, acabam considerando mais a aparência do que o desempenho do computador. Outra característica importante de um gabinete é o seu tamanho.

Atualmente, o mais barato e utilizado para a maioria dos computadores é o midi-torre, assim chamado por ser disposto na vertical, em forma de torre. Ele tem a vantagem de ser barato e ocupar pouco espaço, porém a desvantagem é que ele apresenta pouco espaço para acrescentar outros periféricos (como o HD, por exemplo) que tendem a ficar muito próximos, dificultando o arejamento e elevando a temperatura do equipamento. Outra desvantagem atribuída a esse tipo de gabinete é que ele é baixo para ser colocado no chão e, na mesa de trabalho, ocupa muito espaço. Em geral, ele possui quatro locais para instalação de drives de 5¼”, como os drives de CD-ROM e DVD; e quatro baias de 3½, utilizados para a fixação de discos rígidos.

Os gabinetes torre apresentam as mesmas características, porém são mais altos e possuem mais espaço para a instalação de periféricos. São muito utilizados para servidores e para computadores de alta performance, como os utilizados para jogos que necessitam, além de mais espaço, de melhor arejamento para a dissipação do calor.

Todos os gabinetes possuem, na parte frontal, um painel com botões para ligar e reinicializar o computador, LEDs, que indicam se o computador está ligado e se o disco rígido está sendo acessado, e um pequeno alto-falante.

Os componentes internos do computador geram muito calor e, por isso, a temperatura em seu interior é sempre mais elevada, em comparação ao ambiente. Quanto mais compacto for o gabinete, mais próximos ficam os componentes e mais quente tende a ser internamente. Esse tem sido um fator importantíssimo nos computadores mais modernos, com processadores e placas de vídeo de grande velocidade, que geram muito calor e superaquecem o interior do gabinete.

Quando um componente opera a uma temperatura mais alta que a máxima permitida, vários problemas ocorrem. Os componentes passam a trabalhar de forma errática, e o computador começa a travar ou para de funcionar. Outra consequência do excesso de temperatura é a redução da vida útil dos componentes. Isso não significa que os gabinetes compactos são inadequados. Eles apresentarão aquecimento apenas se usarem componentes que produzem muito calor. Por isso, os modelos compactos são mais indicados para PCs, com configurações modestas e dispositivos onboard.

Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Manutenção em Equipamentos de Informática.
Por Silvana Teixeira.

 

Deixe seu comentário