Criação comercial de surubim: características dos tanques de terra

Os tanques de terra para a criação comercial de surubim nada mais são que reservatórios de água construídos para esta finalidade. Eles poderão ser utilizados tanto para...

Criação comercial de surubim: características dos tanques de terra   Artigos Cursos CPT


 Os tanques de terra para a criação comercial de surubim nada mais são que reservatórios de água e podem ser utilizados  tanto para a recria como para a engorda

Os tanques de terra para a criação comercial de surubim nada mais são que reservatórios de água construídos para esta finalidade. Eles poderão ser utilizados tanto para a recria como para a engorda e deverão ser construídos em terrenos com topografia plana, para facilitar o abastecimento de água por gravidade. A capacidade bem como o número de tanques deverão ser estabelecidos em função do volume de produção de peixes que se deseja obter.

“A utilização dos tanques de terra, tanto para a recria como para a engorda, requer conhecimentos dos seguintes aspectos: construção dos tanques; dimensionamento; elementos de proteção e segurança; e da preparação que os tanques deverão receber sempre que forem receber novas remessas de peixes”, afirma José Eduardo Aracena Rasguido, professor do Curso a Distância CPT Criação Comercial de Surubim, em Livro+DVD e Curso Online.

- Quanto ao terreno


Tanto para a recria como para a engorda, os tanques de terra deverão ser construídos em terreno plano e de forma que fiquem próximos uns aos outros, para facilitar o manejo dos peixes e o abastecimento de água. Eles deverão possuir fundo nivelado no sentido transversal e apresentar um pequeno desnível no sentido do comprimento.

- Quanto a profundidade do tanque


Para isso, a profundidade do tanque na cabeceira, isto é, na lateral por onde a água entrará, deverá ser de 1 a 1,20 m. A outra lateral, ou seja, a oposta à cabeceira do tanque, deverá ter profundidade entre 1,20 a 1,50 m. Portanto, o desnível longitudinal deverá ser de 20 a 30 cm, independentemente do comprimento do tanque, suficiente apenas para permitir o escoamento de água do fundo nas ocasiões de esvaziamento do tanque. Em todos os tanques de terra deverá existir uma borda livre de 30 cm entre a lâmina d’água e a superfície da crista. Assim, a profundidade da lâmina d’água na cabeceira do tanque (parte mais rasa) deverá ser de 80 cm a 1 m, e na extremidade oposta (parte mais funda) deverá ser de 1 a 1,20 m.

- Quanto ao abastecimento de água


O local onde o tanque será construído deverá permitir que a água do curso d’água seja desviada, por gravidade, para fazer o enchimento e a manutenção do nível d’água. Como a água utilizada em um tanque não deverá ser aproveitada para abastecer outro sempre que possível, eles deverão ser construídos paralelos uns aos outros. Isso permitirá que a água seja conduzida em canais de terra ou em tubulações de PVC, passando o mais próximo possível das cabeceiras dos tanques, o que facilitará o seu desvio, através de tubulações de PVC com 100 milímetros de diâmetro, para cada tanque.

- Tempo de enchimento do tanque


O  tempo  de  enchimento  dos  tanques  deverá  ser  o  menor possível e para isso torna-se necessário utilizar uma vazão maior. Porém, quando cheios, a vazão de  água  deverá  ser  reduzida,  sendo  suficiente,  apenas,  para  manter  o  tanque  cheio,  repondo  as perdas  de  água  por evaporação,  que  ocorre  na  superfície  livre  da  água,  e  por  infiltração,  que ocorre  no  fundo  e  laterais  do  tanque.  Sendo  assim,  recomenda-se  instalar, na  entrada  d’água  de cada  tanque,  um  dispositivo  mecânico  que  permita  controlar  a  vazão  de  abastecimento para  os tanques.

Quer saber mais sobre o Curso? Dê play no vídeo abaixo:


 


Conheça os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs e Cursos Online, da área Piscicultura.
Por Silvana Teixeira.

Silvania Teixeira 11-06-2018

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.