"Socialize", a nova rede social que paga pela indicação de produtos e serviços

Rede já possui lojas de games, livros, banco de currículos e cursos online Imagine uma ferramenta onde você possa indicar aos seus amigos produtos e

Rede já possui lojas de games, livros, banco de currículos e cursos online

Imagine uma ferramenta onde você possa indicar aos seus amigos produtos e serviços que achou interessante em lojas virtuais já existentes, e que essa indicação possa te gerar um bônus em dinheiro. Essa é a ideia do Socialize, uma ampla rede de pessoas que permite a criação de lojas sociais interativas que facilitam promover a venda de produtos e serviços através de indicações aos amigos nas redes sociais Facebook, Orkut, Twitter, enfim, onde desejar, já que não se trata de uma loja dentro de uma ou outra rede social e sim lojas sociais que levam indicações  para dentro das redes sociais .

 

A cada venda realizada, o “dono da loja”, ou socializador como é chamado, é remunerado em dinheiro. Ele indica os produtos e serviços, as empresas efetuam as vendas e remuneram os donos das lojas que podem acompanhar em extrato no site e solicitar o resgate transferindo o valor para uma conta no PagSeguro e de lá poderá ser usado em lojas de comércio eletrônico ou até mesmo transferido para uma conta bancária.

A ideia do Socialize é combinar a interatividade das redes sociais com uma ampla rede de amigos visando promover  oportunidades mútuas para a geração de renda com base na troca do conhecimento que as pessoas têm sobre produtos e serviços que valem a pena compartilhar com pessoas de seu relacionamento.  Outro ponto interessante é que além de sua loja social, as pessoas podem levar o mesmo modelo para seus amigos e montar uma rede de lojas e também gerar renda para seus amigos e para si, com a colaboração deles, já que o socialize distribui a bonificação para até 4 pessoas que tenham levado o produto ou serviço ao conhecimento do comprador.

Jefferson Dousseau, diretor executivo da Wing, provedora de soluções de negócios de impacto social, conta que os produtos e serviços divulgados no Socialize são fornecidos pelas empresas conveniadas, que ficam responsáveis pela entrega e pela garantia dos produtos. “Os membros do Socialize são remunerados pelos negócios concretizados pela indicação feita. Basta criar a sua loja social e convidar os amigos e parentes para fazer compras a partir dos itens catalogados na loja, como sugestões. O serviço é gratuito. Assim, é possível ter um novo modelo de comércio eletrônico sem que o participante do Socialize pague mensalidades de manutenção, logística, entre outras dores de cabeça. Apenas tenha lucro com isso”.

Para as empresas participantes, o novo modelo de e-commerce oferece maior assertividade nos negócios, tanto no quesito investimento em propaganda, já que investem condicionado ao retorno garantido como no quesito imagem, já que entregam com a colaboração dos socializadores a mensagem, no formato de recomendação de seus produtos e serviços para um público selecionado pelos amigos. Segundo Dousseau, os fornecedores que desejam participar do Socialize precisam ter uma loja virtual, para que os usuários possam selecionar os produtos que serão socializados e também realizar a transação de venda. “Os amigos serão direcionados à loja virtual da empresa participante para fazer a compra do produto ou serviço interessado. O Socialize não é uma loja virtual, ela não faz a transação comercial. Ele é um mecanismo dinâmico que permite às empresas venderem mais a partir da rede social”, explica o executivo.

Fonte: Midia Américas

Leia também:

Vantagens do comércio eletrônico

O papel da Internet no futuro da educação

Responda as críticas com inteligência

Victor Monteiro 05-09-2012 Notícias

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.